Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Contagem e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Contagem
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Flickr
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUL
04
04 JUL 2022
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
Shoppings centers de Contagem registram crescimento de vendas e anunciam a abertura de novas lojas
Foto Noticia Principal Grande
Foto: Ricardo Lima/PMC
enviar para um amigo
receba notícias

Os shoppings centers do município de Contagem registraram crescimento das suas vendas nos meses de maio e abril, acompanhando a tendência verificada em todo o setor varejista do Brasil. Vários indicadores dos malls da cidade superam até a média nacional. Paralelamente, eles estão anunciando a abertura de novas lojas para o segundo semestre e programando investimentos em infraestrutura.

É o caso, por exemplo, do Big Shopping – um dos mais tradicionais malls do município, que marcou um crescimento de 35% das vendas registradas nos meses de maio e abril, na comparação com o mesmo período de 2021. Foram sete pontos a mais que a média nacional de 28%, calculada pelo Índice Cielo do Varejo Ampliado - ICVA. 

Descontando a inflação sobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor - IPCA, o crescimento real fica entre 10% e 15%. Mesmo quando o comparativo toma como referência os meses de abril e maio do ano de 2019 (período anterior à pandemia), ainda registra-se elevação de vendas. As vendas de maio de 2022 foram 35% maiores que as do mesmo mês em 2019; já as vendas de abril foram 30%.

Outro indicador que confere ao Big Shopping boa posição diz respeito à vacância de lojas. Cálculo feito pela Associação Brasileira de Shopping Centers - Abrasce estima uma média nacional de 6% de vacância nos malls associados. O Big registra apenas 3%. O gerente do Big Shopping, Alexandre Botelho, ainda anunciou duas novas operações em fase avançada de negociações.

O percentual de inadimplência dos lojistas do Big, anotado em 0,3%, também está abaixo da média nacional, calculado pela Abrasce em 6,5%.

A direção do shopping tem se concentrado na captação de operações que também atraem a circulação de clientes. É o caso da Pista de Kart, cuja operação começou no início do mês, e de uma loja da Rede Airsoft – jogo em que as pessoas competem usando armas à base de ar comprimido.

Ainda nesse sentido, está prevista para daqui a dois meses a inauguração de uma das maiores rodas gigantes do Estado de Minas Gerais – atração que terá 37 metros de altura – que tende a se tornar um ponto turístico da cidade como um todo.

Com tudo isso, a expectativa da direção do Big Shopping para o resto deste ano é positiva. Eles investirão mais de R$ 1,5 milhão na reforma da fachada do prédio, do espaço de fraldário e na troca do mobiliário.

Na mesma toada vem o ItaúPower Shopping. Eles acompanharam o aumento do volume total de vendas das suas lojas, em linha com o crescimento nacional verificado pelo ICVA, para os últimos meses de abril e maio, de 28%.

Quando analisado o crescimento de vendas com o período no ano 2019 (fase anterior à pandemia), fica ainda melhor: eles registraram, para maio, um crescimento de 18%; em abril, de 21%.

Somados aos bons indicadores de comercialização, o ItaúPower Shopping prepara para o segundo semestre o início de novas operações no seu mix de lojas. Já está em fase de instalação na praça de alimentação uma loja da Starbucks (com inauguração prevista para o próximo mês de julho) e uma da Popeyes. O mall também receberá uma loja da Natura, uma da Milon (loja de roupas do grupo Kyly), uma Loja do Galo (artigos esportivos) e uma operação da Pernambucanas – rede varejista nacional.

O superintendente do ItaúPower Shopping, Leonardo Andrade, explicou que a captação dessas novas operações atende a demanda do próprio público. “A Pernambucanas, por exemplo, é uma das marcas mais solicitadas por quem passa no mall. E isso conseguimos constatar porque constantemente realizamos pesquisas com o nosso público. A Starbucks e a Natura também. Essas, assim como todas as outras marcas que chegam para compor nosso atendimento, estão diretamente alinhadas com o perfil dos nossos consumidores e, por isso tudo, acreditamos que as inaugurações serão um sucesso”, afirmou Leonardo.

Com essas novas lojas, o ItaúPower Shopping atingiu a marca de 99,04% da sua área bruta locável ocupada, deixando-o acima da média nacional, calculada pela Abrasce em 6% de vacância entre os malls associados.

Embora uma certa flutuação de vacância seja natural aos malls, a expectativa da direção do ItaúPower Shopping é fechar o ano com 0% de vacância.

O Shopping Só Marcas Outlet também assimilou o crescimento das vendas do varejo registrada nos meses de abril e maio. O proprietário do mall, Mário Valadares, creditou parte do crescimento a uma “euforia” pós-pandêmica. Ainda assim, ele acredita no crescimento das vendas para o segundo semestre. “No Shopping Só Marcas Outlet identificamos um crescimento da clientela ‘Classe A’. Acredito que retornaremos aos patamares de vendas anteriores à pandemia”.

Cliente “Classe A” é a designação conferida aos consumidores de uma loja que contribuem para a movimentação de cerca de 80% de todo o faturamento da empresa, que compram em maior volume, maior frequência ou itens mais caros.

Eles se preparam para receber três novas lojas: Vans (calçados, roupas e acessórios para esporte de ação), Ellus (jeans) e da Tommy Hilfiger. A expectativa é que cada uma delas gere cerca de 50 novos postos de trabalho, somada a equipe comercial e a administrativa.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, René Vilela, destacou o bom momento da economia de Contagem, elencando outros indicadores. “O resultado expresso pelo comércio varejista, somados aos resultados positivos de geração de emprego e renda, refletem o aquecimento, a expansão e o crescimento econômico da cidade, bem acima da média apurada pela população economicamente ativa, o que abre uma perspectiva de redução dos índices de desemprego ou de maior empregabilidade da população, ou de novas oportunidades para aqueles que, durante a pandemia, perderam seu trabalho formal”. 

Shoppings da região metropolitana também registram crescimento

Pesquisa feita com os malls da Região Metropolitana de Belo Horizonte - RMBH, pela Associação de Lojistas de Shopping Center de Minas Gerais - Aloshopping, apurou diretamente com os lojistas o crescimento do ticket médio (indicador que aponta o valor médio das vendas de um empreendimento, em um determinado período) na comparação com o ano de 2019, de duas importantes datas: o Dia das Mães (segundo domingo de maio) e o Dia dos Namorados (12 de junho).

O dia das mães teve um crescimento médio nominal de 10,18%, comparado com o ano de frente ao de 2019, antes da pandemia. Já as vendas do Dia dos Namorados tiveram um crescimento médio nominal (incluído a inflação), de 12,76% – 0,93% de crescimento real, excluída a inflação pelo IPCA de 11,73% – na comparação com 2021.

Em números estaduais, o departamento de inteligência da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais - FecomércioMG, apontou um crescimento de 21% nas vendas registradas para o mês de abril, na comparação com o mesmo mês em 2021.

O valor também ficou acima da média nacional, que foi de 18,7%. “O volume de vendas também foi 4,2% superior ao de abril de 2021; maior também, que o crescimento médio nacional, que foi 1,5%”, destacou Frank Sinatra, diretor da Fecomércio e presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas - CDL de Contagem.

Autor: Guilherme Jorgui
Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia